Quarta, 05 Agosto 2009 15:35

O nome Werenfried

Escrito por Padre Werenfried
Avalie este item
(3 votos)

Em 1934, com outros treze postulantes, tomei hábito em Tongerlo, Bélgica. Ajoelhamo-nos humildemente no chão da sala do capítulo e invocamos a "misericórdia de Deus e do abade, e o acolhimento na comunidade desta abadia". Recebemos a tonsura. Junto com o hábito branco de são Norberto, o abade nos revestiu do "novo homem", "criado segundo a imagem de Deus na justiça e na verdadeira santidade". Em seguida nos foram dados nomes novos, como sinal de que deveríamos dar início a uma vida toda nova. Nomes de Santos, que deveriam nos acompanhar com seus exemplos e sua intercessão no caminho estreito para os céus. Recebi o nome de "Werenfried".

A aura de romantismo que envolveu nossas vidas não nos iludiu por muito tempo. Deus mesmo, algumas vezes sensivelmente perto e na maioria delas invisivelmente longe, freqüentemente incompreensível, tomou a seu encargo a tarefa da nossa formação. Assim, dotes, erudição e talentos humanos tiveram pouca importância. Não foi por acaso que eu, o estudante de saúde frágil, considerado inapto para o serviço militar e para a ordem dos capuchinhos, recebi o nome guerreiro de Werenfried, apesar de não ter nenhuma propensão a ser um lutador pela paz, como o nome sugeria.

Deus queria que eu me chamasse Werenfried. Mas devo admitir que nem sempre honrei o bonito nome que recebi como noviço, e que freqüentemente falhei no meu programa de vida; que, depois de mais de cinqüenta anos de vida religiosa, ainda não estou à altura da minha missão; e que, sem a ajuda de vocês, não sou capaz de levar a cabo a incumbência que Deus me confiou.

Lido 8585 vezes Última modificação em Quarta, 29 Agosto 2012 11:04

1 Comentário

  • Link do comentário Davisson Rodrigues dos Santos Quinta, 11 Fevereiro 2010 20:09 postado por Davisson Rodrigues dos Santos

    Não é somente os religiosos e religiosas, que deveriam ter uma vida toda nova... todos os batizados são convidados, a tomar como dever pessoal... o que o Evangelho propõe apenas como conselho!

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.